Câncer de pulmão: novas terapias e drogas prometem melhor prognóstico para a doença

tratamento que já vinha mostrando sucesso em pacientes oncológicos com metástase no pulmão agora disponível também para casos em estágios iniciais.

Um tratatamento que já vinha mostrando sucesso em pacientes oncológicos com metástase no pulmão agora disponível também para casos em estágios iniciais. Essa é uma das principais inovações para este tipo de câncer – o que mais mata em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) – que estão serão debatidas durante a 11ª edição do Congresso Internacional do Grupo Oncoclínicas e Dana-Farber Cancer Institute, que acontece entre os dias 14 e 16 de setembro no WTC Events Center, em São Paulo.

William Nassib William Junior

William Nassib William Junior

A alternativa terapêutica em questão mostrou resultados animadores a partir de estudos previamente apresentados no Encontro Anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco), em junho deste ano, e destacou o papel da análise genômica como ferramenta essencial para ampliação das opções de tratamento e aumento das chances de cura em casos de câncer de pulmão localizados.

“Pesquisas que receberam destaque na Asco 2023 mostram cenários importantes no combate à doença. São análises baseadas em técnicas de imunoterapia e terapia-alvo que já eram muito usadas no tratamento, mas apenas para pacientes com doença avançada, uma situação na qual as chances de cura são muito pequenas ou inexistentes. Agora temos dados que comprovam que é possível aplicar essas alternativas avançadas de tratamento para aqueles que estão em estágios iniciais, o que aumenta exponencialmente a possibilidade de cura”, explica William Nassib William Jr, líder da especialidade de tumores torácicos do Grupo Oncoclínicas.

Esses avanços também incluem exames genéticos avançados que ajudam a detectar o perfil molecular de tumores de pulmão, importantes aliados no controle da condição. “Esse tipo de teste proporciona maior precisão e melhor qualidade no diagnóstico, o que é fundamental para uma definição precisa do tratamento. Isso porque apenas conhecendo com precisão as células malignas o profissional de saúde conseguirá especificar o melhor tratamento para aquele caso. É o que chamamos de oncologia de precisão”, completa.

 

Acesso ainda é desafio
A ciência tem, de fato, avançado a passos largos nas alternativas de condutas para câncer de pulmão, doença que em 90% dos casos no mundo tem como origem o tabagismo e que ainda lidera o ranking das doenças oncológicas que mais matam todos os anos, segundo a OMS. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), é estimado que em 2023 cerca de 33 mil novos casos da doença sejam diagnosticados.

Em atenção a esse cenário, o Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana-Farber, que também tem transmissão digital ao vivo, lança um olhar de lupa não apenas para as mais recentes estratégias terapêuticas no combate à doença, mas às formas de garantir que essas ferramentas avançadas estejam disponíveis para a população como um todo. Para William William, mesmo diante de um arsenal poderoso de condutas que podem atuar no enfrentamento da neoplasia, a equidade no acesso e a integração do tratamento para o paciente oncológico se mostram grandes obstáculos atuais na luta contra o câncer de pulmão.

“É preciso não apenas celebrarmos os avanços, mas também reunirmos esforços para discutir a realidade brasileira e buscar caminhos para fornecer acesso igualitário a todos os pacientes a um diagnóstico adequado, com uma velocidade rápida para fazer as melhores escolhas na combinação do tratamento cirúrgico, sistêmico – baseados na adoção de medicações via oral ou intravenosa, como a quimioterapia e alternativas avançadas como imunoterápicos – ou radioterápico”, comenta.

Sintomas e tipos mais comuns do câncer de pulmão
A grande maioria dos pacientes com câncer de pulmão tendem a apresentar sintomas ligados ao aparelho respiratório. Por isso, é importante ficar em alerta caso haja tosse, falta de ar e dor no peito. “Outros sintomas inespecíficos também podem surgir, entre eles perda de peso e fraqueza. Contudo, quando a doença é sintomática, geralmente, se encontra em uma fase mais avançada. Por isso, é muito importante que os programas incluam a cessação do tabagismo e estratégias de rastreamento da população de alto risco, como tabagistas e ex-tabagistas. A atenção aos primeiros sintomas é essencial para que seja realizado o diagnóstico precoce da doença, o que contribui amplamente para o sucesso do tratamento”, explica o oncologista da Oncoclínicas.

Já quanto aos tipos da neoplasia, os dois principais são: o carcinoma de pequenas células e o de não pequenas células “O carcinoma de não pequenas células corresponde a 85% dos casos e se subdivide em carcinoma epidermóide, adenocarcinoma e carcinoma de grandes células. O tipo mais comum no Brasil e no mundo é o adenocarcinoma e atinge 40% dos doentes”, finaliza William William.

 

Serviço
11º Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana Farber-Institute (evento híbrido)
Quando: 14 a 16 de Setembro de 2023
Local: WTC São Paulo Events Center (São Paulo, SP).
Participação virtual: o evento contará com transmissão ao vivo de toda programação
Informações e inscrições: www.congressooncoclinicas.com.br

Sobre o 11º Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana-Farber Cancer Institute
Com painéis sobre inteligência artificial, tratamentos personalizados, assistência inclusiva e linhas de cuidado multidisciplinares, o Congresso contará com debates liderados por pesquisadores do Grupo Oncoclínicas e do Dana Farber Institute para traçar um panorama da chamada oncologia do futuro.

Os principais avanços tecnológicos que têm mudado o tratamento de câncer e as inovações desenvolvidas por cientistas brasileiros estarão presentes nos debates, que são fundamentais para expandir conhecimento para vencer o câncer.

Regidos pelo tema “Oncologia do Futuro: as Fronteiras da Inovação e a Revolução do Cuidado”, o foco dos debates e apresentações desta edição estão voltados para as tecnologias de Inteligência Artificial, a ampliação da diversidade no abordagem de condutas e acessibilidade socioeconômica aos tratamentos oncológicos e em cuidados multidisciplinares.

Serão mais de 300 palestrantes no Congresso, entre convidados nacionais e internacionais, com a apresentação de 16 módulos, nas temáticas de ginecologia, pulmão, mama, urologia, hematologia, gastrointestinal, medicina de precisão, sarcoma, pele, cabeça e pescoço, sistema nervoso central, multidisciplinar, cuidados paliativos, neuroendócrinos, onco-hemato-pediatria, radioterapia. O evento acontece em São Paulo, em formato híbrido (a parte presencial será no WTC São Paulo Events Center).

Sobre a Oncoclínicas&Co
A Oncoclínicas – maior grupo dedicado ao tratamento do câncer na América Latina – tem um modelo especializado e inovador focado em toda a jornada do tratamento oncológico, aliando eficiência operacional, atendimento humanizado e especialização, por meio de um corpo clínico composto por mais de 2.600 médicos especialistas com ênfase em oncologia. Com a missão de democratizar o tratamento oncológico no país, oferece um sistema completo de atuação composto por clínicas ambulatoriais integradas a cancer centers de alta complexidade. Atualmente possui 134 unidades em 35 cidades brasileiras, permitindo acesso ao tratamento oncológico em todas as regiões que atua, com padrão de qualidade dos melhores centros de referência mundiais no tratamento do câncer.

Com tecnologia, medicina de precisão e genômica, a Oncoclínicas traz resultados efetivos e acesso ao tratamento oncológico, realizando mais de 595 mil tratamentos nos últimos 12 meses. É parceira exclusiva no Brasil do Dana-Farber Cancer Institute, afiliado à Faculdade de Medicina de Harvard, um dos mais reconhecidos centros de pesquisa e tratamento de câncer no mundo. Possui a Boston Lighthouse Innovation, empresa especializada em bioinformática, sediada em Cambridge, Estados Unidos, e participação societária na MedSir, empresa espanhola dedicada ao desenvolvimento e gestão de ensaios clínicos para pesquisas independentes sobre o câncer. A companhia também desenvolve projetos em colaboração com o Weizmann Institute of Science, em Israel, uma das mais prestigiadas instituições multidisciplinares de ciência e de pesquisa do mundo, tendo Bruno Ferrari, fundador e CEO da Oncoclínicas, como membro de seu board internacional.

Para mais informações, acesse www.grupooncoclinicas.com

Clique aqui e fale direto com a OCPM