Oncologia de Precisão: técnicas de análise molecular para identificação das alterações genéticas das células revolucionam combate ao câncer

Avanços da ciência a partir do conhecimento genômico e desenvolvimento de novas drogas são determinantes no diagnóstico e tratamento precoces; Tema faz parte da programação de congresso internacional que reúne 5 mil profissionais de saúde brasileiros entre os dia 14 e 16 de setembro

Rodrigo Dienstmann

O câncer já é um dos principais desafios de saúde e a tendência é que a situação se agrave: a Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (IARC, na sigla em inglês), entidade vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), calcula que cerca de 18 milhões de pessoas receberam o diagnóstico da doença em 2020 e a expectativa é que, em 20 anos, esse número chegue a 28 milhões de novos casos ao ano. No Brasil, as estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) indicam mais de 700 mil novas ocorrências só este ano. Porém, junto com o aumento de casos, também crescem opções de diagnóstico e tratamento que vêm revolucionando o combate da doença. A principal – e mais recente delas – são as abordagens e drogas desenvolvidas a partir das análises genômicas.

As inovações são feitas a partir da avaliação precisa dos tumores em laboratório, tornando possível não apenas oferecer novas terapias alvo, mas também obter um entendimento molecular profundo para saber como cada tipo de câncer se comporta. Desta forma, é possível elaborar estratégias terapêuticas mais assertivas, o que tem aumentando a sobrevida e qualidade de vida de diversos pacientes.

“Alternativas de terapias personalizadas e individualizadas podem fazer com que o câncer se aproxime cada vez mais de se tornar uma doença considerada crônica, com benefícios mensuráveis à qualidade de vida de pacientes”, aponta o oncologista Carlos Gil Ferreira, presidente do Instituto Oncoclínicas e diretor médico do Grupo Oncoclínicas. Para ele, o futuro do tratamento da doença é promissor e permitirá que mais pessoas tenham alternativas terapêuticas para muito além da quimioterapia e radioterapia.

O tema está no centro dos debates que permeiam a programação do 11º Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana-Farber Cancer Institute, entre os dias 14 e 16 de setembro. Com 16 módulos, que acenam para o presente e futuro no combate a diferentes tipos de tumores, o evento traz importantes estudos e análises que mostram como a oncologia vem evoluindo significativamente através da utilização de técnicas de análise molecular para identificação das alterações genéticas das células cancerígenas, sejam elas hereditárias ou adquiridas. Esses avanços no conhecimento aprofundado dos mecanismos da doença se refletem não só em diagnósticos mais precisos mas também possibilitam estratégias voltadas à individualização das linhas de cuidado.

Para Rodrigo Dienstmann, diretor de Medicina de Precisão e Big Data da Oncoclínicas, exames que ajudam a decifrar o perfil molecular de tumores como de pulmão, intestino e próstata têm se mostrado importantes aliados no controle da condição. “Esse tipo de teste proporciona maior assertividade no diagnóstico da doença, o que é fundamental para uma definição precisa do tratamento”, comenta.

Neste cenário de amplos avanços científicos, o médico ressalta, ainda, a patologia digital, por unir algoritmos de inteligência artificial, big data e conhecimento médico altamente especializado para gerar análises ainda mais precisas para um diagnóstico assertivo. “A transformação digital e implementação de ferramentas de análise computacional vêm se mostrando altamente efetivas na redução do tempo de diagnóstico e indicação de melhores linhas de cuidado a serem adotadas para cada paciente”, destaca.

 

Genética é aliada essencial para tratamentos mais efetivos
Nas frentes de combate ao câncer, Rodrigo Dienstmann aponta para as alternativas de tratamentos mais recentes – e celebradas – com olhar de lupa para a personalização de condutas. Através da utilização de técnicas de análise molecular para identificação das alterações genéticas das células cancerígenas, sejam elas hereditárias ou adquiridas, a oncologia de precisão contribui significativamente para que pesquisadores possam encontrar uma forma de atingir especificamente tais alterações e, assim, controlar o tumor.

“Faz parte desse arsenal de opções a terapia gênica CAR-T, que usa células do próprio paciente moduladas em laboratório para derrotar tipos especiais de tumores hematológicos, comprovando que a oncologia molecular é essencial para a otimização do cuidado ao paciente com câncer”, enfatiza o especialista.

Outros exemplos já em uso pautados pelo olhar para a genômica são a imunoterapia – tipo de tratamento biológico com o objetivo de potencializar o sistema imunológico do indivíduo para combater o câncer – e as terapias-alvo moleculares – tratamento feito com substâncias que foram desenvolvidas para atacar alterações específicas das células cancerígenas, bloqueando o crescimento do tumor e permitindo que o organismo do paciente recupere as condições para derrotá-lo. E isso, assegura o especialista, é apenas o início de uma nova Era da medicina.

“A evolução dos estudos envolvendo o genoma humano, código genético presente nas células e de forma única em cada indivíduo, fez com que nos últimos anos a análise dos genes se tornasse parte indispensável das áreas da medicina. O congresso trará não só uma visão aprofundada sobre avanços e benefícios da oncologia de precisão, como também um panorama dos aspectos econômicos e sociais para que seja possível garantir a equidade de acesso às terapias mais avançadas para toda a população”, sintetiza Carlos Gil Ferreira.

Serviço
11º Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana Farber-Institute (evento híbrido)
Quando: 14 a 16 de Setembro de 2023
Local: WTC São Paulo Events Center (São Paulo, SP).
Participação virtual: o evento contará com transmissão ao vivo de toda programação
Informações e inscrições: www.congressooncoclinicas.com.br

Sobre o 11º Congresso Internacional Oncoclínicas e Dana-Farber Cancer Institute
Com painéis de discussão científica sobre inteligência artificial, tratamentos personalizados, assistência inclusiva e linhas de cuidado multidisciplinares, o Congresso contará com debates liderados por pesquisadores do Grupo Oncoclínicas e do Dana Farber Institute para traçar um panorama da chamada oncologia do futuro.

Os principais avanços tecnológicos que têm mudado o tratamento de câncer e as inovações desenvolvidas por cientistas brasileiros estarão presentes nos debates, que são fundamentais para expandir conhecimento para vencer o câncer.

Regidos pelo tema “Oncologia do Futuro: as Fronteiras da Inovação e a Revolução do Cuidado”, o foco dos debates e apresentações desta edição estão voltados para a ampliação da diversidade na abordagem de condutas e acessibilidade socioeconômica aos tratamentos oncológicos e em cuidados multidisciplinares, isso sem deixar de lado a integração de tecnologias como a Inteligência Artificial na análise molecular dos tumores.

Serão mais de 300 palestrantes no Congresso, entre convidados nacionais e internacionais, com a apresentação de 16 módulos, nas temáticas de ginecologia, pulmão, mama, urologia, hematologia, gastrointestinal, medicina de precisão, sarcoma, pele, cabeça e pescoço, sistema nervoso central, multidisciplinar, cuidados paliativos, neuroendócrinos, onco-hemato-pediatria, radioterapia. O evento acontece em São Paulo, em formato híbrido (a parte presencial será no WTC São Paulo Events Center).

Sobre a Oncoclínicas&Co
A Oncoclínicas – maior grupo dedicado ao tratamento do câncer na América Latina – tem um modelo especializado e inovador focado em toda a jornada do tratamento oncológico, aliando eficiência operacional, atendimento humanizado e especialização, por meio de um corpo clínico composto por mais de 2.600 médicos especialistas com ênfase em oncologia. Com a missão de democratizar o tratamento oncológico no país, oferece um sistema completo de atuação composto por clínicas ambulatoriais integradas a cancer centers de alta complexidade. Atualmente possui 134 unidades em 35 cidades brasileiras, permitindo acesso ao tratamento oncológico em todas as regiões que atua, com padrão de qualidade dos melhores centros de referência mundiais no tratamento do câncer.

Com tecnologia, medicina de precisão e genômica, a Oncoclínicas traz resultados efetivos e acesso ao tratamento oncológico, realizando mais de 595 mil tratamentos nos últimos 12 meses. É parceira exclusiva no Brasil do Dana-Farber Cancer Institute, afiliado à Faculdade de Medicina de Harvard, um dos mais reconhecidos centros de pesquisa e tratamento de câncer no mundo. Possui a Boston Lighthouse Innovation, empresa especializada em bioinformática, sediada em Cambridge, Estados Unidos, e participação societária na MedSir, empresa espanhola dedicada ao desenvolvimento e gestão de ensaios clínicos para pesquisas independentes sobre o câncer. A companhia também desenvolve projetos em colaboração com o Weizmann Institute of Science, em Israel, uma das mais prestigiadas instituições multidisciplinares de ciência e de pesquisa do mundo, tendo Bruno Ferrari, fundador e CEO da Oncoclínicas, como membro de seu board internacional.

Para mais informações, acesse http://www.grupooncoclinicas.com

Clique aqui e fale direto com a OCPM