Convivendo com o câncer

Nutrição

O controle adequado da alimentação durante o tratamento do câncer é fundamental para manter o balanço nutricional do organismo, já que os efeitos colaterais de alguns medicamentos podem atrapalhar a aceitação e digestão de alimentos. Saiba mais
8 min de leitura
por: Grupo Oncoclínicas
Nutrição
O controle nutricional no tratamento oncológico é fundamental, pois os efeitos colaterais de podem atrapalhar a aceitação e digestão de alimentos

Ao longo das décadas, estudos realizados em todas as partes do planeta indicam que a alimentação tem um papel importante no desenvolvimento, na propagação e também na prevenção do câncer. Entre as mortes por câncer causadas por fatores ambientais, a dieta contribui com aproximadamente 35%. Uma dieta ajustada, equilibrada e adequada poderia prevenir de três a quatro milhões de novos casos de câncer por ano.

Tão importante quanto a adoção de uma alimentação com o objetivo de prevenir o câncer ou a volta da doença é a preocupação com a nutrição durante o tratamento do câncer. Os efeitos colaterais de tratamentos como a quimioterapia atrapalham a aceitação de uma série de alimentos², e a resposta para a manutenção do balanço nutricional do organismo do paciente está na própria alimentação: com o que se coloca no prato e no copo, é possível amenizar tais efeitos adversos e garantir a ingestão do que seja necessário para manter o organismo forte para atravessar a luta contra o câncer.

Também devem ser levadas em consideração a perda do apetite e a mudança no paladar, natural no período de tratamento. A desnutrição é comum entre esses os pacientes oncológicos, variando de 40% a 80% dos casos. Isso porque os constantes efeitos colaterais tiram-lhes a vontade de encarar um prato de comida.

Saiba o que incluir e o que tirar da rotina alimentar – e dicas práticas para fazer isso –, conheça os principais mitos e verdades sobre nutrição durante o tratamento de câncer e saiba com que especialistas médicos contar para que tudo seja mais simples.

O que incluir na rotina de alimentação durante o tratamento de câncer

Determinados alimentos ou formas de prepará-los e consumi-los são mais eficazes contra cada tipo de efeito colateral do tratamento de câncer.

Para aliviar náuseas e vômitos:

Consuma alimentos frios ou gelados;
Coma alimentos ácidos e cítricos (limão, laranja, morango e abacaxi, por exemplo); e
Coma pequenas porções, várias vezes ao dia.
Para evitar ou aliviar o mal-estar da diarreia:

Aumente a ingestão de líquidos saudáveis, como água, chá e suco.

Contra a prisão de ventre:

Coma alimentos ricos em fibras, como feijão, ervilha, lentilha, grão de bico, soja, arroz integral, linhaça e aveia; e
Beba muita água.
Contra a mucosite (feridas na boca):

Dê preferência para alimentos macios e/ou pastosos (cremes de leguminosas – ervilha, lentilha, milho –, purês, pães macios, sorvetes, pudins, gelatinas; e
Consuma alimentos frios ou gelados.
Para melhorar a sensação de boca seca:

Ingira muitos líquidos (água, chá, suco, sopa);
Coma alimentos ácidos e cítricos (limão, laranja, morango e abacaxi, por exemplo);
Chupe cubos de gelo; e
Antes das refeições, aplique pomadas industrializadas de saliva artificial na boca.
Além disso, é importante levar em conta que, para fazer frente à necessidade de reparos dos efeitos adversos dos tratamentos de cirurgia, da quimioterapia e da radioterapia, o sistema imunológico precisa estar fortalecido.

Para fortalecer o sistema imunológico, o ideal é incluir na dieta diária alimentos ricos em antioxidantes, como alho, amêndoas, batata doce, brócolis, espinafre, iogurte desnatado, melancia e repolho.

A hidratação é outro ponto importante na nutrição durante o tratamento contra o câncer, pois a eliminação de muitos compostos tóxicos da quimioterapia e da radioterapia se faz pela urina⁶. O consumo adequado de água é necessário, portanto, para auxiliar na desintoxicação do organismo. O ideal é beber água mineral ou filtrada.

De modo geral, o paciente oncológico deve manter uma dieta que privilegie alimentos de origem vegetal: frutas, legumes, verduras, cereais integrais e leguminosas (feijão e ervilha, por exemplo). Esses ingredientes têm o poder de inibir a chegada de componentes cancerígenos às células e também de consertar o DNA danificado quando a agressão já começou. Se a célula já estiver alterada em um ponto sem conserto, alguns compostos nutricionais são capazes de promover sua morte, evitando a continuidade da multiplicação desordenada de células doentes.

Ao consumir carnes, sejam elas vermelhas ou brancas, deve-se dar preferência às preparadas cozidas no vapor, ensopadas, guisadas ou assadas.

Estudos relacionando a dieta mediterrânea à prevenção e/ou ao tratamento de câncer têm mostrado os efeitos benéficos da ingestão de alimentos que formam a base dessa dieta – peixes, frutas, vegetais, azeite virgem de oliva e vinho – na contenção da progressão da doença.

O que tirar da rotina de alimentação durante o tratamento de câncer
Determinados alimentos ou formas de prepará-los e consumi-los pioram os efeitos colaterais do tratamento de câncer.

Para aliviar náuseas e vômitos:

Evite ou diminua o uso de temperos fortes na preparação dos alimentos; e
Não encha demais o prato a cada refeição.
Para evitar ou aliviar o mal-estar da diarreia:

Não consuma doces concentrados, creme de leite, manteiga, queijos e pães integrais, que são laxativos;
Evite alimentos naturais que soltam o intestino, como leite de vaca e frutas como mamão, laranja, uva e ameixa preta.
Contra a prisão de ventre:

Evite acrescentar cereais refinados às refeições, tais como arroz branco, farinha de trigo refinada, fubá, amido de milho e de preferência a cereais integrais.
Contra a mucosite (feridas na boca):

Evite alimentos picantes, salgados e/ou com temperos fortes; e
Não consuma alimentos ácidos e cítricos (como limão, laranja, morango, abacaxi).
Para melhorar a sensação de boca seca:

Evite alimentos ricos em sal; e
Não tempere a comida em demasia;
Devem ser evitados, durante o tratamento, alimentos com maiores quantidades de gorduras, açúcares e sódio, como as carnes processadas, embutidos (salsichas, linguiças e salames, por exemplo, por conterem elevada quantidade de sódio e gordura), refrigerantes, bebidas alcoólicas e sucos artificiais.

As carnes muito bem passadas ou fritas, tais como churrasco, podem conter compostos químicos cancerígenos formados durante o preparo, devendo ser consumidas com moderação.

8 dicas práticas de nutrição para facilitar o dia a dia durante o tratamento

1) Por razões físicas e psicológicas, comidas com “gostinho de casa” são mais bem aceitas pelo paciente oncológico. Cozinhar em casa ou ter alguém que possa fazer isso pelo paciente ou, ainda, contar com serviços especializados de comida caseira para entrega em casa são boas formas de encarar o prato com mais vontade de comer.

2) Preencher 2/3 do prato com verduras, frutas, grãos integrais, leguminosas, nozes e sementes é uma boa forma de garantir o aporte nutricional necessário.

3) Limitar o consumo diário de sal ao equivalente a 1 colher de café – assim, o sabor dos alimentos é mantido, mas a saúde não é prejudicada.

4) Verificar nos rótulos dos alimentos a quantidade de sódio, compará-la à de produtos similares e optar pelo que tiver menos deste componente.

5) Utilizar temperos naturais no preparo dos alimentos; em vez de usar aquele tempero pronto de supermercado, que tal picar o alho, a cebola e as ervas verdes em casa?

6) Evitar beber líquidos durante as refeições. Eles fazem com que os alimentos passem mais rápido pelo trato gastrointestinal e, consequentemente, diminuem a capacidade de absorção de nutrientes pelo organismo.

7) Criar uma rotina alimentar – com horários e duração de cada refeição – é uma boa estratégia para garantir o aporte nutricional constante. O corpo ajusta o relógio biológico a esses horários e intervalos rapidamente.

8) Fazer de sete a oito refeições por dia. Fracionando a alimentação, aumenta-se o apetite.

Que médicos devem orientar sobre nutrição durante o tratamento de câncer

No que diz respeito à alimentação e à nutrição, o tratamento multidisciplinar contra o câncer deve contar, além do médico oncologista, com nutrólogos e nutricionistas.

Mitos e verdades sobre nutrição durante o tratamento de câncer

Todo paciente oncológico precisa de suplementação alimentar artificial

MITO. A maioria das pessoas não necessita de suplementação, pois a alimentação equilibrada tende a ser suficiente para proteger o organismo. O uso de comprimidos, cápsulas, pós e líquidos para suplementar vitaminas e minerais só deve ser feito após exames físicos e clínicos, caso os médicos que acompanhem o tratamento considerarem necessário. Tomar suplementos por conta própria pode trazer prejuízos à saúde e comprometer o tratamento.

Carne de porco deve ser evitada durante o tratamento de câncer

MITO. Muitos creem que a carne de porco atrapalhe a cicatrização e a regeneração do organismo durante o tratamento oncológico, mas não há nenhuma base científica que confirme essa relação. De toda forma, é melhor consumir suas versões mais “magras”, ou seja, com menos gordura, como o lombo assado.

É possível curar o câncer apenas com a alimentação

MITO. Embora a alimentação saudável e equilibrada seja essencial e auxilie no tratamento contra a doença, nenhum alimento tem o poder de curar qualquer tipo de câncer.

Ingerir alimentos ricos em ferro, tais como fígado, carne vermelha e couve, ajuda a combater a anemia em pacientes em quimioterapia

MITO: Em muitos casos, a anemia que ocorre em pacientes em quimioterapia não está relacionada a deficiência por ferro, mas a outros fatores. Para o tratamento de anemia por carência de ferro, recomenda-se suplementação de ferro através de medicamentos.

O consumo de castanhas pode prevenir o surgimento de pólipos no intestino

VERDADE. Estudos indicam que o consumo de uma porção de castanhas, tais como castanha-do-pará, nozes e amêndoas, três vezes por semana, reduz a ocorrência de pólipos no intestino grosso.

REFERÊNCIAS

1 Revista de Nutrição – Dieta e câncer: um enfoque epidemiológico. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732004000400009

2 Abrale – Alimentação e câncer. Disponível em: https://www.abrale.org.br/informacoes/alimentacao-e-cancer/

3 Hospital Alemão Oswaldo Cruz / Centro de Oncologia – Pacientes em tratamento de câncer devem adequar alimentação. Disponível em: https://centrodeoncologia.org.br/noticias-cancer/pacientes-em-tratamento-de-cancer-devem-adequar-alimentacao/

4 Hospital Nove de Julho – Câncer e alimentação: uma relação mais importante do que você imagina. Disponível em: https://www.h9j.com.br/pt/sobre-nos/blog/cancer-e-alimentacao-uma-relacao-mais-importante-do-que-voce-imagina

5 Asbran – Como combater a desnutrição em pacientes com câncer. Disponível em: https://www.asbran.org.br/noticias/como-combater-a-desnutricao-em-pacientes-com-cancer

6 Espaço de Vida – Alimentação e Câncer. Disponível em: https://www.espacodevida.org.br/seu-espaco/alimentar/alimentacao-e-cancer

7 INCA – Alimentação. Disponível em: https://www.inca.gov.br/alimentacao

8 INCA – Alimentos de origem vegetal. Disponível em: https://www.inca.gov.br/alimentacao/alimentos-de-origem-vegetal

9 INCA – Modo de preparo da carne. Disponível em: https://www.inca.gov.br/alimentacao/modo-de-preparo-da-carne

10 ACS Journals – Adherence to the Mediterranean diet and grade group progression in localized prostate cancer: An active surveillance cohort. Disponível em: https://acsjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/cncr.33182

11 Hospital Alemão Oswaldo Cruz / Centro de Oncologia – Alimentação para Prevenção em Câncer. Disponível em: https://centrodeoncologia.org.br/noticias-cancer/alimentacao-para-prevencao-em-cancer/

12 WeCancer – Os 7 cuidados com a alimentação para quem tem câncer. Disponível em: https://wecancer.com.br/blog-os-7-cuidados-com-a-alimentacao-para-quem-tem-cancer/

13 INCA – Suplementos alimentares. Disponível em: https://www.inca.gov.br/alimentacao/suplementos-alimentares

14 Instituto Vencer o Câncer – Nutrição. Disponível em: https://vencerocancer.org.br/dia-a-dia-do-paciente/nutricao/mitos-e-verdades-da-alimentacao-do-paciente-em-quimioterapia/

15 INCA – Mitos e verdade: Alimentação. Disponível em: https://www.inca.gov.br/mitos-e-verdades/alimentacao

Compartilhe
Ou compartilhe o link
Link copiado para sua área de trabalho.

Convivendo com o câncer

Este conteúdo faz parte de uma série de artigos sobre a convivência com o câncer
Saiba mais
Nossos serviços

Nossos serviços

O Grupo Oncoclínicas oferece serviços de diagnóstico, tratamento e atendimento especializado com suporte também para familiares, cuidadores e amigos através de equipe multidisciplinar. Conheça nossos serviços.
Saiba Mais