Tipos de câncer

Ovário

O câncer de ovário é o sétimo mais comum entre as mulheres. A idade e alguns fatores, hormonais, reprodutivos (quem nunca teve filho) e histórico familiar aumentam as chances. Inchaço e dor no abdômen são alguns sintomas. Saiba mais.
4 min de leitura
por: Grupo Oncoclínicas
Ovário
Alguns fatores como a idade, hormonais, reprodutivos (quem nunca teve filho) e histórico familiar aumentam as chances para câncer de ovário.

O que é o câncer de ovário

O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum em mulheres, ficando atrás somente do câncer de colo do útero.Trata-se do sétimo tipo de câncer mais comum em mulheres no mundo, acometendo mais de 300 mil novas pacientes por ano. 

Segundo dados do Ministério da Saúde para o ano de 2023 no Brasil, ocupa a oitava posição entre as neoplasias  mais incidentes no sexo feminino (excluídos os tumores de pele não melanoma). Conforme o INCA (Instituto Nacional de Câncer), para o triênio de 2023 a 2025, o número estimado de novos casos no país é acima de 7 mil por ano.

A maioria absoluta das neoplasias de ovário – 95% – é derivada das células epiteliais, ou seja, aquelas que revestem o ovário. Os outros 5% vêm de células germinativas (as que formam os óvulos) e de células estromais (as que produzem a maior parte dos hormônios femininos).

Subtipos do câncer de ovário

Existem diversos subtipos de câncer de ovário. Eles são denominados de acordo com o tipo de células onde se originam. Esse resultado pode ser confirmado através do laudo de biópsia.

Os três principais grupos são:

  • Tumores Epiteliais de ovário – Iniciam-se na superfície externa do ovário (o epitélio) e é o subtipo mais comum. O câncer de tuba uterina e o primário do peritônio estão incluídos neste grupo. Esse subtipo se divide em serosos de alto grau (90%), endometrioides (10%), células claras, mucinosos e baixo grau.
  • Tumores de Células germinativas de ovário – Originam-se nas células reprodutivas dos ovários, ou seja, aquelas que dão origem aos óvulos;
  • Tumores de Células estromais de ovário – Formam-se nas células do tecido conjuntivo, que é a porção responsável pela sustentação e nutrição do órgão;

Sintomas de câncer de ovário

O câncer de ovário é uma doença silenciosa e em seus estágios iniciais não costuma apresentar sintomas específicos. À medida que o tumor cresce, pode causar:

  • Inchaço no abdômen;
  • Dor no abdômen;
  • Dores na região pélvica, nas costas ou nas pernas;
  • Náuseas;
  • Indigestão;
  • Gases;
  • Funcionamento anormal do intestino (prisão de ventre ou diarreia);
  • Fadiga constante;
  • Perda de apetite e de peso sem razão aparente;
  • Sangramento vaginal anormal, especialmente depois da menopausa;
  • Aumento na frequência e/ou na urgência de urinar.

Diagnóstico do câncer de ovário

Não existe um exame específico para o rastreamento do câncer no ovário (como o Papanicolau para câncer de colo de útero ou mamografia para câncer de mama). Por esta razão, e associado ao fato dos sintomas do câncer de ovário serem facilmente confundidos com outras doenças e condições de saúde menos graves, seu diagnóstico é realizado em fase avançada da doença.

Os sintomas de câncer no ovário combinados que despertam o sinal de alerta de especialistas são o inchaço e a dor no abdômen, a perda de apetite e de peso, a fadiga e a mudança no funcionamento do intestino e do trato urinário.

Diante desse quadro, serão realizados exame clínico ginecológico e exames laboratoriais e de imagem do abdômen (que ajudam a identificar a presença de ascite – ou acúmulo de líquidos – e a extensão da doença em mulheres com suspeita de disseminação intra-abdominal). Caso haja suspeita de câncer de ovário, é feita uma avaliação cirúrgica.

Também deve ser realizado exame de tórax (raio X ou tomografia computadorizada que auxilia na detecção de derrame pleural, presença de metástases pulmonares ou outras alterações).

Tratamento para o câncer de ovário:

O tratamento para o câncer de ovário pode incluir cirurgia e quimioterapia venosa baseada em um medicamento chamado platina. 

A escolha depende da avaliação médica do Oncologista clínico, que considera o tipo de tumor, o estadiamento (extensão em que a doença se encontra), se trata-se de tumor inicial ou recorrente, além da idade e condições clínicas da paciente.

Para estágios iniciais, a abordagem é cirúrgica combinada ou não a quimioterapia. Estágios avançados podem ser tratados com cirurgia seguida de quimioterapia, quimioterapia seguida de cirurgia ou quimioterapia exclusiva.

Prevenção do câncer de ovário:

Para prevenir ou aumentar a chance de diagnosticar o câncer de ovário em estágio inicial, as mulheres devem realizar consulta periódica com seu ginecologista, estar atentas aos sintomas (especialmente se vários se manifestem ao mesmo tempo) e aos fatores de risco, sobretudo a partir dos 50 anos de idade.

Fatores de risco para câncer de ovário:

  • Idade – Quanto mais avançada a idade, maior a incidência de carcinoma epitelial de ovário;
  • Fatores reprodutivos – Mulheres que nunca tiveram filhos tendem a apresentar risco aumentado para câncer de ovário. Por outro lado, as que fazem uso de contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) tendem a ter esse risco reduzido;
  • Fatores hormonais – Menarca precoce (primeira menstruação antes dos 12 anos) e menopausa tardia (após os 52 anos) podem estar associadas ao maior risco de câncer de ovário;
  • Histórico familiar – Presença de familiares, especialmente parentes em primeiro grau, portadores de cânceres de ovário, colorretal e mama;
  • Fatores genéticos Presença de mutações em genes, principalmente os genes BRCA1 e BRCA2;
  • Obesidade.

 

Compartilhe

Ou compartilhe o link
Link copiado para sua área de trabalho.

Tipos de câncer

Conheça a nossa série de conteúdos relacionado aos tipos de câncer.
Saiba mais
Clique aqui e fale direto com a OCPM